domingo, 3 de outubro de 2010


Sabe de uma coisa? Até o maior dos poetas se cansa de escrever sobre a dor. Definitivamente, não tenho grande habilidade com as palavras, mas cansei de direcionar as minhas sempre para o mesmo discurso de menina frágil e infeliz, que se submete ao sofrimento esperando por um amor que nunca vem. Acho que outras garotas já chegaram ou mesmo irão chegar a esse ponto, é uma questão de tempo. Todas nós merecemos descobrir que a solução não é abdicar das oportunidades de ser feliz, mas sim saber reconhecer quando elas deixam de ser promissoras e se tornam infrutíferas. Quanto mais demorarmos pra entender isso, mais lágrimas ficarão incontidas nos olhos, mais tempo será jogado no lixo, mais vezes voltaremos à conclusão de que um é melhor do que dois - e no fundo sabemos que isso não é verdade.
Se escrever sobre as mágoas acumuladas no caminho for uma válvula de escape, não há motivos para deixar de fazê-lo. Mas se escrever sobre essas mágoas se tornar um hábito e sua voz soar como um pedido estrangulado de ajuda, saiba que alguma coisa está errada. Pare de falar dele, sua indiferença e seu cabelo de hamster. Ninguém o conhece. Na realidade, querem conhecer aquela que tanto se empenha em descrever as próprias desilusões. Fale de você. Conte-nos seus prazeres mais insignificantes ao correr descalça, olhar a chuva ou cantar no banho. São essas bobagens que arrancarão os sorrisos alheios, mais ainda, farão a menina dos sonhos perdidos encontrar-se, enfim.

5 comentários:

  1. Lindo o texto. Escreves muito bem!!!

    ResponderExcluir
  2. UAU, realmente é pura verdade !
    Muitas pessoas hoje em dia só escrevem sobre dor e sofrimento, mas esqueçem de escrever sobre aquilo que mais gostam .

    ResponderExcluir
  3. e n é? aquele meu último post foi um 'tchaufuckyou' pra toda essa história .. vamos falar da sorte, do que faz bem! bjs, te amo mttt

    ResponderExcluir
  4. n entendi o 'haha, ganhei' que você comentou no meu último post, rs

    ResponderExcluir
  5. Olha, hoje eu peço perdão do fundo do coração, mas só vim mesmo avisar que como o meu blog http://lenjob.blogspot.com está completando CINCO ANOS eu postei lá DEZ POEMAS novinhos de presente e aguardo sua visita prometendo voltar aqui para degustar do seu.

    João Lenjob.

    Rosas Vermelhas
    João Lenjob

    Foi a alegria que tanto me deu
    E das juras que fizemos porém
    Das rosas vermelhas que eu lhe dei
    Num buquê as promessa tão cheias de amor
    Do presente o sorriso sincero tão bom
    Da alegria que me ensinou a viver
    E da vida que só eu pude dar.

    Da pureza do encanto que sentimos
    A inocente ternura que nos rodeava
    nos mais nobres momentos que soubemos estar
    Viver.

    Nas rosas vermelhas da vida
    O amor nunca fora escondido
    Um segredo vale tanto
    O brinquedo em encanto de nunca perdido
    Viver, você
    Perpetuamente num jardim de rosas vermelhas.

    ResponderExcluir

deixe seus pingos nos Is: